Acantonamento do Fundamental: autonomia e crescimento (Parte 2)

A equipe pedagógica da Primeira ficou muito orgulhosa por perceber que as crianças do 1º e 2º ano do Fundamental se saíram muito bem nos dias de acantonamento. As crianças já estão com saudade. A professora auxiliar do 1º ano, Priscila, com a ajuda dos alunos descreveu algumas das atividades do acantonamento: “Na trilha do Indiana Jones tinha uma bola gigante que foi para cima das crianças, mas acabou desviando. Depois tinha um caminho com lama, água, e uma cachoeira. Em seguida entraram numa caverna com morcegos escondidos e pegaram uma trilha que dava num tobogã com túnel. O Joaquim adorou essa aventura. A Spazukamonaring é uma pista de kart muito divertida que molha as pessoas. Tem um túnel com gás que parece neblina e ficava mais difícil de enxergar. Para andar era preciso pedalar e tinha que ser rápido para vencer a corrida. O Enigma da Pedra é uma caverna com três bolas de pedra. Quando Felipe, o monitor, empurrou a primeira pedra, começou a subir água do chão! Na segunda, a água parou de encher e, na terceira, abriu uma passagem secreta na parede e apareceu uma piscina de água quente.”

A coordenadora do Ensino Fundamental da Primeira, Paola Versignassi, falou sobre as conquistas dos alunos: “Acho que é importante ressaltarmos a aposta que fizemos (escola, famílias e crianças) e as conquistas. Durante todo passeio sentimos um orgulho enorme de cada um: na capacidade de enfrentar com coragem os medos; na independência nos momentos de refeição, no cuidado com os pertences, na hora de arrumar a cama; no companheirismo entre eles em todos os momentos (era lindo de ver os gestos de apoio nas aventuras, de ouvir as conversas enquanto arrumavam as camas e quando deitaram) e, com isso, no fortalecimento dos vínculos.”

A professora Ludmila, do 2º ano, destacou a importância de acontecimentos únicos como o acantonamento para a “construção do eu”: “Na minha experiência de uma infância repleta de viagens escolares, penso que quando viajamos com um grupo, pernoitando em algum lugar, nos mostramos por inteiro, abrindo para o outro quem verdadeiramente somos, quais os nossos costumes, como gostamos de dormir, nossos medos, como lidamos com a nossa privacidade e todas essas facetas da intimidade. Fazer esta experiência longe dos pais e próximo de pessoas que não nos conheciam desta forma, por inteiro, é muito valioso para a constante construção do nosso Ser. São nessas experiências, ao abrirmos nossa intimidade, que temos a possibilidade de enxergarmos a do outro, respeitando-a. O grupo do segundo ano retornou da viagem com os laços de afeto e amizade apertados, deixando este clima de fim de ano cheio de amor e cumplicidade.”

É a partir da beleza de relatos como esses que a Primeira se dispõem a realizar atividades e vivências que ultrapassam estratégias pedagógicas e conteúdos do currículo. Educar com significação é também proporcionar às crianças experiências que contribuam e se tornem marcos para a construção da identidade.

By | 2017-11-29T17:55:22+00:00 novembro 29th, 2017|Sem categoria|0 Comments

Leave A Comment